fbpx

Dezembro é o mês ideal para fazer o planejamento tributário da farmácia

Escolher o tipo ideal de regime tributário é essencial para que você pague menos impostos. Neste artigo, a gente conta como fazer a escolha certa.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
planejamento tributário
Sumário

Dezembro é o mês ideal para a farmácia fazer o planejamento tributário e escolher qual é o regime mais adequado para o seu negócio. Isso porque, se você está no Simples Nacional, é necessário solicitar a exclusão desse regime tributário até 31 de janeiro.

No entanto, o mais indicado é que a mudança de regime seja feita até 31 de dezembro. Bruno Moura, contador da Farma Contábil e especialista no assunto, explica que começar 2022 com o regime tributário definido é importante para emitir as notas fiscais de venda de mercadoria com a configuração tributária correta desde o primeiro dia do ano.

Então, é fundamental que você tome essa decisão até o dia 31 de dezembro. Neste artigo, a gente conta como fazer a escolha certa.

Impostos estão em 2º lugar no ranking das grandes despesas

A preocupação com a questão tributária é extremamente relevante ao se levar em consideração que o Brasil é um dos países com a maior carga tributária do mundo. De acordo com Bruno, os tributos representam um dos maiores custos de qualquer negócio, em qualquer segmento – sendo farmácia, drogaria ou outra atividade.

O custo tributário está em segundo lugar na linha de custos das farmácias e drogarias. Por isso, é importante que todos os proprietários cuidem do pagamento dos impostos com o objetivo de reduzir a carga tributária o máximo que conseguirem.

Ao pagar menos imposto, a farmácia melhora margem de contribuição, ponto de equilíbrio e lucratividade. Por isso, a escolha do regime tributário mais adequado dentro da legalidade para se pagar menos imposto deve ser prioridade para a farmácia.

Vale destacar que o regime tributário é uma opção, não uma imposição. Para optar pelo melhor, a orientação é fazer todas as análises e estudos em parceria com a contabilidade. Informações como faturamento e lucratividade devem ser levados em consideração.

Utilize o simulador da Farma Contábil para saber se você está pagando mais imposto do que deveria.

Como fazer o melhor planejamento tributário?

Hoje, no Brasil, existem três regimes tributários: Simples Nacional, Lucro Presumido e Lucro Real. No Simples Nacional, o limite de faturamento é de R$ 4,8 milhões no ano e R$ 400 mil no mês. Se a sua farmácia faturar mais do que isso, ela não pode optar pelo Simples Nacional.

No varejo farmacêutico, a grande maioria opta pelo Simples Nacional acreditando estar blindada do Fisco e pagando menos imposto, porque o tributo é recolhido a partir de um percentual que incide sobre o faturamento. As farmácias pensam que, dessa forma, resolvem todos os problemas sem precisar fazer a contabilidade.

No entanto, isso pode ser um erro. “Muitas farmácias não têm contabilidade ou, se têm, lançam apenas faturamento, compras, folha de pagamento, impostos e mais nada. Sem informações detalhadas, como vamos tomar uma decisão acertada sobre o melhor regime tributário?”, alerta o especialista.

Em relação ao Lucro Presumido, costuma ser o pior regime tributário para farmácias. Como o próprio nome diz, presume-se que farmácia tem uma determinada lucratividade dentro do mês ou trimestre apurado. “Se a drogaria tem uma lucratividade acima de 8%, pode ser que o Lucro Presumido não seja vantajoso, como geralmente não é”, afirma Bruno.

Leia também: Simples ou Real: como escolher o melhor regime para sua farmácia

Lucro Real: você paga imposto sobre resultados e não sobre faturamento

“O Lucro Real é o regime tributário mais adequado para farmácias e drogarias”, afirma o especialista. A explicação está no fato de se pagar os impostos a partir dos resultados do negócio e não sobre o seu faturamento.

“No Simples Nacional, quanto mais você fatura, mais imposto você paga. No Lucro Presumido, você também paga percentuais sobre faturamento. No Lucro Real, você recolhe sobre o resultado da farmácia”, explica o contador.  Resumindo: você paga o Imposto de Renda e a Contribuição Social se tiver lucro, caso contrário, não terá o custo desses dois impostos.

Diante disso, Bruno destaca a importância de uma contabilidade especializada e de se ter um bom relacionamento com o escritório de contabilidade. O contador também ressalta a necessidade de se conhecer bem os números, lançar todas as despesas e ter um controle financeiro adequado para saber qual é o real resultado da farmácia. “Se você não tem uma gestão, não tem um software e não sabe qual é o lucro do seu negócio, você não vai conseguir escolher o regime tributário mais adequado”, alerta.

Você deve lançar todas as despesas. Isso pode ajudar a pagar menos imposto

Se você não conhece ou não faz o lançamento contábil de todas as despesas e não considera todas as informações, a consequência é aparecer na contabilidade um lucro maior do que o lucro real do negócio. O resultado dessa omissão de dados são decisões tributárias erradas. Por isso, é fundamental ter uma gestão correta, eficiente e organizada.

“Já vi casos de farmácias que têm conta corrente, mas não lançam na contabilidade. Também não registram os custos de cartão de crédito e as despesas miúdas de manutenção e prestadores de serviço, por exemplo. Agindo assim, a contabilidade vai dar um lucro maior do que o real”, afirma Bruno.

Fique atento! Com o lucro maior do que o real, a sua farmácia vai pagar mais impostos do que deveria.

Compartilhe:
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação.

×