fbpx

Entendendo, de uma vez por todas, o Lucro Presumido

Entendendo, de uma vez por todas, o Lucro Presumido

No Brasil, uma empresa pode optar entre três regimes tributários: Simples Nacional, Lucro Presumido e Lucro Real. Há um quarto, denominado Microempreendedor Individual (MEI), que não se enquadra na faixa de faturamento da farmácia por ter um teto anual de apenas R$ 81 mil. Portanto, para o varejo farmacêutico, restam apenas os três primeiros.

Mas qual deles escolher? Qual se encaixa melhor no seu negócio?

No artigo anterior, explicamos o Simples Nacional.

Neste artigo, apresentaremos alguns conceitos sobre Lucro Presumido. Nosso objetivo é ajudar você na escolha do melhor regime tributário para sua farmácia.

Lucro Presumido

O Lucro Presumido é uma forma de tributação simplificada para determinação da base de cálculo do Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL). Presume-se o lucro da empresa a partir de sua receita bruta e outras receitas sujeitas à tributação.

Em termos gerais, trata-se de um lucro fixado a partir de percentuais padronizados aplicados sobre a receita operacional bruta. Assim, por não se tratar do lucro contábil efetivo, mas uma mera aproximação fiscal, denomina-se de Lucro Presumido.

A opção por esse regime de tributação será manifestada com o pagamento da primeira ou única quota do imposto devido correspondente ao primeiro período de apuração de cada ano-calendário. 

O IRPJ devido, apurado trimestralmente, será pago em quota única até o último dia útil do mês subsequente ao do encerramento do período de apuração. Caso prefira, a empresa poderá pagar o imposto devido em até três quotas mensais, iguais e sucessivas, vencíveis no último dia útil dos três meses subsequentes ao encerramento do período de apuração a que corresponder, tento acréscimo de correção pela taxa Selic nas segunda e terceira cota.

Principais características do Lucro Presumido

- É utilizado o percentual de 8% para presumir o lucro da pessoa jurídica para o cálculo do IRPJ e de 12% para a CSLL.

- Após a presunção do lucro, aplica-se o percentual de 15% ao IRPJ e 9% para CSLL.

- No cálculo do IRPJ, aplica-se ainda uma alíquota de 10% sobre a parcela do lucro presumido que exceder o limite de R$ 60 mil no trimestre.

- A base de cálculo da CSLL é de 12% do faturamento que tem alíquota de 9%.

- Os impostos PIS e Cofins possuem alíquotas de 0,65% e 3% respectivamente.

- O ICMS é apurado por débito e créditos e tem alíquotas variadas de acordo com cada produto.

- A Contribuição Previdenciária Patronal (CPP) é aplicada sobre a folha de pagamento e o pró-labore.

Conte com a assessoria de profissionais

A decisão sobre o melhor regime tributário para a farmácia ou drogaria deve ser tomada em conjunto com o contador. Dessa forma, a empresa consegue reduzir a carga tributária, pagando menos imposto dentro da legalidade e reduzindo riscos de sonegação involuntária.

O IRPJ e a CPP são dois fatores decisivos na tomada de decisão sobre o melhor regime tributário. Procure analisar todos os benefícios tributários disponíveis para reduzir esses dois impostos, buscando levantar as possibilidades de dedução da base de cálculo favoráveis ao seu negócio. 

Como o segmento varejista farmacêutico possui características tributárias específicas, é fundamental escolher uma contabilidade que conheça as normas do setor.

Já conhece o Descomplica Farma? Um programa da Farma Contábil no YouTube que vai descomplicar o dia a dia da sua farmácia!