Como economizar no pagamento de impostos?

Conheça os erros de tributação que podem afetar o lucro da sua farmácia e aprenda a economizar nos impostos de forma correta.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Como economizar no pagamento de impostos?
Sumário

Que o setor farmacêutico é cheio de detalhes e regras exclusivas, todo mundo já sabe, mas os processos e a burocracia ficam ainda mais complexos quando falamos impostos, afinal, cada tipo de medicamento e outros produtos comercializados na farmácia se enquadram em um modelo diferente de cobrança.

Diante de tantas peculiaridades, como pagar impostos de forma correta e com economia? Quem responde a essa pergunta tão importante para a prosperidade dos negócios é Jiovanni Coelho, especialista em Tributação e Pricing da SimTax. Ele começa falando sobre a importância de categorizar cada produto corretamente.

“Muitos empreendedores não se atentam ao cadastro de produtos e colocam qualquer pessoa para realizar essa atividade – inclusive, é comum vermos estagiários e menores aprendizes na função. Contudo, se o cadastro de medicamentos for feito de forma errada, o problema será grande, porque as taxas variam para cada tipo de medicamento”, explica.

Impostos: listas positiva, negativa e neutra

Segundo Jiovanni, a tributação de PIS e Cofins para medicamentos pode se enquadrar em três tipos de listas: positiva e negativa, que são pagas somente pela indústria, e neutra, paga por todos os envolvidos, inclusive, a farmácia. Se um medicamento que não deveria estar na lista neutra é registrado nela, a farmácia vai pagar um imposto que não precisaria e, consequentemente, reduzir a lucratividade. Isso também pode acontecer com o ICMS e outros tributos.

Jiovanni alerta ainda para outra possibilidade: a farmácia achar que não precisa pagar alguns impostos por conta da má categorização. “Um bom exemplo disso são os dermocosméticos, porque, assim que eles são comprados da indústria, a farmácia precisa pagar um imposto chamado IPI. Quando isso não está no cadastro, o gestor acha que o tributo não existe. Isso pode levar a uma formação equivocada do preço de venda, que afetará diretamente o lucro, a competitividade e a saúde financeira da empresa”.

Localização: de onde comprar os medicamentos e produtos?

O especialista afirma que, dependendo do estado, a farmácia pode pagar mais impostos por determinados produtos do que em outros, tornando a compra interestadual vantajosa ou desvantajosa em alguns casos.

“Quando falamos em nível de dificuldade, o Rio de Janeiro é o estado com maior complexidade tributária do Brasil. Sabemos que o local de compra do produto pode elevar ou reduzir o valor do imposto a ser pago, já que cada estado possui suas regras. Então, recomendo avaliar em que lugar você terá o melhor custo-benefício antes de fechar negócio”, elucida.

Precificação: como determinar o preço dos produtos?

Conforme ressalta Jiovanni, para calcular bem o preço de venda, é preciso ter uma área de pricing estruturada dentro da empresa. “A área de precificação estratégica serve para controlar não somente a formulação de preços, mas também a parte tributária e a lucratividade. Erros de precificação, mesmo os pequenos, minam o lucro da farmácia”.

Dicas para precificar corretamente o produto

Para ajudar a melhorar a estratégia de definição de preços de venda, Jiovanni elaborou uma lista de quatro dicas simples, mas muito eficazes, para organizar essa parte tão importante do negócio.

1) NCM (Nomenclatura Comum do Mercosul)

O primeiro passo é entender qual é a NCM de cada produto. A NCM (Nomenclatura Comum do Mercosul) é o código tributário que está vinculado ao produto e é ela que determina qual será a tributação.

2) Compra com representantes

Depois, descubra o preço de tabela do produto, o quanto de desconto você consegue com o representante e o valor final que precisa investir para adquirir o item.

3) Custo, preço e cadastro de itens

Após avaliar todas essas variáveis, chegamos ao custo. O preço é o valor pago pela compra do item, enquanto o custo considera também todos os impostos pagos dentro desse valor. Como o cálculo do imposto muda de um regime tributário para o outro, cada farmácia precisa fazer o seu. Perceba que, se o cadastro estiver incorreto, isso impacta em todos os cálculos.

Assim que o custo for calculado, podemos começar a pensar no preço, separando a margem por categoria. Por exemplo, se a margem de lucro desejada é de 30%, divida o custo por 1 – 30. O resultado é o preço de venda.

Por fim, ajuste o preço para fazê-lo parecer mais acessível. Vamos supor que o valor foi R$ 30,14. Diminua para R$ 29,90, porque isso causa a impressão de estar pagando menos, já que as pessoas tendem a focar nos 20 e não nos 30.

4) Análise de concorrência e negociação

Observar a concorrência faz parte do pricing, pois seus preços não podem ficar muito acima do que é cobrado pelas outras farmácias. Para conseguir melhorar seu preço de venda, negocie descontos com os representantes da indústria farmacêutica.

Se houver negociação de desconto, nem sempre o valor descontado será comunicado à indústria pelo representante comercial. Se a área ou o profissional de pricing estiver monitorando atentamente, essa divergência de valores será rapidamente percebida, recuperando o dinheiro e garantindo a lucratividade esperada.

Escolhendo o profissional de pricing

Como o mercado farmacêutico tem suas próprias regras, mesmo que a pessoa seja experiente em outro mercado, ela precisa aprender todas as regras do mercado farmacêutico para que seu trabalho seja bem-sucedido.

“O mais importante é que o candidato à vaga tenha o perfil ideal. Escolha alguém que gosta de lógica e matemática, mesmo que precise de treinamento para aprender sobre o setor de farmácias”, ressalta Jiovanni.

Escolhendo a contabilidade

“Uma contabilidade especializada no mercado farmacêutico é essencial, porque quando o contador conclui a graduação, ele ainda não é especializado neste segmento, que é cheio de características únicas, como taxas variadas, que não existem em outros setores. Isso pode levar a muitos prejuízos por pagamento incorreto de tributos. Lembre-se de que o escritório não precisa estar na sua cidade ou no seu estado, porque a tecnologia permite que todas as informações sejam trocadas rapidamente. Escolha pela competência em lidar com as contas da farmácia, e não pela proximidade”, finaliza Jiovanni.

A Farma Contábil é especializada em contabilidade para farmácias. Nossos especialistas estão à disposição para ajudar farmácias de todo o Brasil. Continue se informado sobre o tema nas nossas redes sociais: @farmacontabil

Compartilhe:
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Este site utiliza cookies para garantir seu funcionamento correto e proporcionar a melhor experiência na sua navegação.